sábado, 30 de julho de 2016

Na sombra do verão (VIII)


Sair para fora do risco



No verão, gosto de me perder na distância entre os dias. Sou um risco na direção incerta. Sou uma ideia que guardo para mais tarde. No verão, sento-me no chão e esqueço-me para onde. Não sei quando volto. Talvez quando acabar o verão.