domingo, 21 de dezembro de 2014

Os pequenos prazeres da vida






Ontem, acordei bem-disposta. Mal abri a janela e descobri o céu azul, decidi que era dia de andar no laréu. Liguei à minha querida amiga Isabel a desafiá-la para me acompanhar. Tal como eu, a Isabel é viúva há alguns anos e, embora seja uma mulher muito ativa, padece de alguma solidão, pelo que não se fez rogada e aceitou de imediato o meu convite.

Fizemos uma bela caminhada pela zona ribeirinha de Lisboa com o sol a aquecer-nos o corpo e a alma. Ainda nos sentámos num banco e, imóveis, deixámos que o sol subisse a temperatura do nosso corpo. Senti-me um perfeito lagarto, pois tal como eles, o meu corpo já vai tendo dificuldade em se aquecer sozinho. Cúmplices da mesma letargia, desfrutamos de um silêncio partilhado, como é comum em seres que já se conhecem há várias décadas.

Escolhemos uma esplanada à beira rio para almoçar, sempre com o sol como companhia. Depois de uma salada de frango deliciosa e de uma calórica sobremesa, preparámo-nos para uma tarde de cinema.

A nossa escolha recaiu sobre “Boyhood: Momentos de uma vida” - um projeto cinematográfico muito interessante que acompanha em tempo real o crescimento de um rapaz dos 6 aos 18 anos e a evolução da sua família.

O filme mostra o modo como o tempo passa pelas nossas vidas. Não são as datas e os momentos especiais que mais nos marcam, mas o tempo comum de todos os dias - os momentos triviais que vivemos e crescemos como pessoas.

Voltei a casa de coração cheio. O Biju esperava-me, como sempre, enroscado no sofá. De bem com a vida, comi uma sopa reconfortante e instalei-me no sofá a ler um livro delicioso da Helena Sacadura Cabral “As Nove Magníficas”.


sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

O regresso



 


Regressei hoje à hidroginástica. Triunfante, entrei no balneário e fui acolhida pelas colegas que me aclamaram como se eu tivesse estado ausente uma vida inteira. Rapidamente me puseram a par das novidades dos últimos dias. A Emília vai a Paris passar o Natal com a filha, que lhe ofereceu a passagem de avião. Anda felicíssima com a perspetiva de voltar a ver os netos. O senhor Manuel anda a arrastar a asa à Ivone que não se tem feito rogada com os avanços e a Margarida, uma das nossas professoras, anunciou que vai casar.

Todos andam animados com as compras e os afazeres natalícios. A Manuela anda numa grande azáfama a despachar as encomendas que aceitou para o Natal. Sai da hidroginástica a correr, pronta a arregaçar as mangas para amassar coscorões, azevias e sonhos. Confesso que nunca a vi com tanta genica como agora.

Foi revigorante retomar a rotina e voltar a enriquecer a minha vida com pedacinhos da vida dos outros.