sábado, 31 de janeiro de 2015

Ao sabor do vento




2 comentários:

  1. Temos de nos adaptar às inclemências do tempo, como aquelas árvores que, fustigadas pelo vento, dobram mas não partem.
    Isabel

    ResponderEliminar