quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Precisa de um saquinho?


 


E não, não me estou a referir ao saco de supermercado que vai ficar mais caro. O assunto é mais visceral. De manhã, no meu caminho para o ginásio, já tem acontecido o meu pezinho incauto pisar cocó de cão, que, infelizmente, abunda na nossa calçada portuguesa. Quem já passou por tal revés, sabe o quanto é penoso livrar-nos daquela mal cheirosa matéria orgânica agarrada aos sapatos. É ver-nos a correr para o pedacinho de relva mais próximo, a arrastar e a limpar o sapato freneticamente, enquanto proferimos raios e coriscos. Por vezes, tenho de fazer uma espécie de slalom para me desviar de todas os dejetos caninos que encontro pelo caminho. Os nossos passeios parecem campos de minas. Na minha rua e arredores há muitos cães que usam as ruas como casa de banho sob o olhar negligente dos donos pouco escrupulosos que não apanham os dejetos dos mesmos. Confesso que esta descomunal ausência de civismo me tira do sério. Para além de ser uma falta de higiene pública é também uma enorme falta de respeito para com todos os utentes da via pública. Quando apanho alguém em flagrante delito a afastar-se do “local do crime” como se a poia XXL do seu animal não lhe dissesse respeito, pergunto sempre delicadamente (leia-se com um sorriso fingido) se precisa de um saquinho. Desprevenido, o dono acaba por aceitar a oferta, balbuciando uma desculpa pouco convincente. Quando o vejo agachar-se para recolher o “presente”, sinto que a minha pequena intromissão valeu a pena. Tenho sido bem-sucedida nesta minha luta “armada” contra este comportamento tão incivilizado. É por isso que ando sempre com novas munições (leia-se saquinhos) na mala.


6 comentários:

  1. Eu tabém não fico calada perante tais comportamentos.
    Isabel

    ResponderEliminar
  2. Li há tempos num jornal que iam criar uma nova legislação numa cidade basca que obriga que todos os cães façam testes de ADN. Sempre que alguém viola a lei, a polícia recolhe os dejetos caninos nos passeios e envia-os para identificação genética, para em seguida identificar o dono do animal. As multas podem ir até aos 700 euros.
    António

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Havia de ser cá eheheh

      Eliminar
  3. Pois eu já fui enxovalhada por ter chamado a atenção de alguém. Pedi educadamente que a pessoa recolhesse o dito cujo, mas a resposta foi "meta-se na sua vida", acompanhada de mais impropérios. Foi dito com tanta agressividade que não tive coragem de dizer mais nada. Estas pessoa mereciam ser multadas.
    Emília

    ResponderEliminar
  4. não dá para entender porque as câmaras até dão os sacos. É falta de educação mesmo!
    Élis

    ResponderEliminar
  5. Concordo consigo Miss Smile. Nunca saio de casa com o meu Simba sem levar um saquinho. Infelizmente também ganho muitos presentes desses, não tivesse eu o hábito de andar a olhar para o céu!
    Tristemente grande parte das pessoas acha naturalíssimo o cócó dos seus animais ficarem a enfeitar e perfumar os passeios e relvados. Tolerância para falta de civismo é algo que não tenho mesmo!

    ResponderEliminar