domingo, 12 de julho de 2015

O caminho que me estendes


Martin Vlach

Amo o Caminho que Estendes

Amo o caminho que estendes por dentro das minhas divisões.
Ignoro se um pássaro morto continua o seu voo
Se se recorda dos movimentos migratórios
E das estações.
Mas não me importo de adoecer no teu colo
De dormir ao relento entre as tuas mãos.

Daniel Faria, in Dos Líquidos


6 comentários:

  1. Nada parece ameaçar-nos quando nos abraçam com ternura.

    Beijos, Miss Smile, e um bom Domingo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mundo fica mais doce e mais chegado.

      Um beijinho, Maria, e um bom domingo :)

      Eliminar
  2. (...)
    " Como um ninho a fazer-se por um pássaro que não chega
    Quando a luz agasalhada da mulher que toma banho
    Toma o teu corpo nos braços
    Quando a tua casa é voltares a casa
    Ao regaço aquático da tua mãe "
    (...)
    Daniel Faria/ Dos Líquidos

    Maravilhoso.
    Um beijinho de sintonia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há abraços que são um regresso a casa.

      Que poema maravilhoso!
      Um beijinho também em sintonia :)

      Eliminar
  3. Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
    Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
    PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
    Que haja paz e saúde no seu lar.
    Com votos de saúde e de grandes vitórias.
    Sou António Batalha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, António, pela sua visita. Irei visitar o seu espaço com muito gosto.

      Um braço e votos de saúde e paz

      Eliminar