terça-feira, 12 de janeiro de 2016

A doçura




A doçura é uma espécie de felicidade que mergulha na luz. Uma beleza pura a trespassar um céu de verão. Um fulgor respeitoso que se apodera do coração. É este o efeito que a música de Bach tem sobre mim. Quando a ouço, sinto que posso ser tudo aquilo que gostaria de ser e que nunca fui capaz. Aqui, nesta igreja de origem gótica, no coração da Alemanha, deixo de ser eu para fazer parte de um todo a que os outros também pertencem. É como se a música e o canto abrissem um parêntesis no tempo, um sempre no instante. Todos os projetos começados, todos os desejos ansiados - tudo se extingue por magia. Sinto uma sensação avassaladora de história, como se as cantatas de Bach estivessem impregnadas de milhões de batimentos cardíacos das pessoas desconhecidas de todo o mundo que as ouviram e interpretaram ao longo dos séculos com a mesma chave de paz. É como se, de repente, unida a todas essas pessoas por notas musicais, que não se deslaçam, eu visse o mundo como elas o viram. Um mundo que vem de longe, fluido e sem peso, de onde surge a liberdade que cada um de nós tem de se reconverter. Fico com um nó na garganta. Olho para o chão. Apetece-me chorar. Tudo é solidário e belo de mais. Ao meu lado, uma alemã limpa uma lágrima que lhe escorre pela face com a manga da camisola de lã cor de asa de pomba. Quando a música cessa e se começa a ouvir o arrastar de cadeiras, um arrastar de regresso ao quotidiano, vejo a noite a querer entrar pelos vitrais. Saio para a rua a levitar. A noite cai com o seu manto escuro e liso, perlado de chuva. Passo o batom do cieiro pelos lábios, subo para a bicicleta e pedalo pela cidade em direção à casa da amiga que me acolheu. Vejo fumo branco a sair da boca das pessoas com quem me cruzo e gotas de chuva que cintilam à luz laranja dos candeeiros da rua. Não sinto o frio. Encosto o ouvido junto à pele da noite e o que escuto é o meu coração. Esta devia de ser a regra do dia-a-dia.


35 comentários:

  1. E porque não? Não encontraremos todos pequenos motivos para sentir essa grande elevação em cada esquina da vida? Bach tem a capacidade de nos lançar para o alto, depois é só apanhar boleia...mas no fundo, no fundo, somos nós que temos tudo.
    Um beijinho, querida Miss Smile.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, somos nós que damos vida às coisas. Nada acrescentamos lá fora. Todos podemos ser pardais equilibrados em claves de sol na esquina dos dias. Mas nem sempre conseguimos o equilíbrio e nem sempre o nosso olhar é límpido. Tem dias em que está coberto por uma leve película de névoa que embacia as coisas e nos impede de as desejar. Há dias em que a vontade não chega.

      Um beijinho, querida Teresa

      Eliminar
  2. Música em igrejas têm um outro sabor, acho que se torna mais fácil o envolvimento, é uma atmosfera que se gera. Diferente. Muito.

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Somos seres olhados
      Quando os nossos braços ensaiarem um gesto
      fora do dia-a-dia ou não seguirem
      a marca deixada pelas rodas dos carros"
      (...)

      Ruy Belo / Teoria da Presença de Deus

      A atmosfera exterior e a nossa disposição interior têm grande influência na forma como nos damos a certos momentos.

      Um beijinho, Vizinha do Quarto Andar

      Eliminar
  3. Querida Miss Smile,

    Gostava de ter sido eu a escrever este texto. Porque sinto exactamente o mesmo quando oiço Bach. Um dia alguém escreveu : Bach é a prova evidente da existência de Deus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que quando ouvimos Bach, cabemos todos no olhar de Deus - "Soli Deo Gloria".

      Um beijinho, querida Virginia

      Eliminar
  4. Retemperadora, essa viagem à Alemanha.:)
    Felizmente, também podemos ouvir Bach por cá. Ainda bem que temos rádio, CD, youtube... (o seu blog...) e podemos ouvi-lo quando queremos ou precisamos. Sim, às vezes é mesmo uma necessidade, mais do que uma vontade.


    Beijinhos, querida Miss Smile.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A música, e a arte em geral, permite-nos viver momentos sem porquê, momentos que eu designaria de santos, em que a realidade é afunilada a uma só razão, designadamente, que a vida vale por si. E é verdade, querida Miss Me, precisamos tanto desses momentos.

      Um beijinho

      Eliminar
  5. Lindo, transparente, claro e puro.
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelentes adjetivos para descrever a música de Bach :)

      Um beijinho, Papoila

      Eliminar
  6. São mais os dias em que oiço Bach do que aqueles em que não. Preciso. A sua música preenche as horas cintilando no tempo como se o beijasse e dele fizesse açúcar no ar a brilhar ao sol.
    Sai-me esta tontice e não a corrijo, porque me sinto bem nesta casa e acho que nem preciso de pedir desculpa pela tontice.
    Na verdade, já tentei inúmeras vezes descrever para mim mesma o que significa a música de Bach. Não consegui.
    Mas o que eu queria mesmo dizer é que este texto é Bach em palavras. É sublime. É a descrição perfeita que eu procurava. É exatamente isso que descreves sentir que eu sinto quando oiço Bach. Precisamente.
    Obrigada, Miss Smile.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Doce Susana, não são tontices o que escreves. E eu revejo-me na tua expressão “açúcar no ar a brilhar ao sol” :) Quando ouvimos com o coração, sentimos tudo isso. A música de Bach faz-nos colocar o ouvido no que é autêntico. É um sopro de vida que nos dá vontade de tratar do nosso jardim.

      Um beijinho :)

      Eliminar
  7. que seria do mundo sem Bach... muito bom, é mesmo isso, essa união no tempo e no espaço, felizes os que ouvem! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A música de Bach é como uma jarra de açucenas que enche a casa de perfume.

      Um beijinho, Manel

      Eliminar
    2. precisei de pesquisar as açucenas, Bach é mais familiar :)

      Eliminar
  8. Respostas
    1. E há acordes que dizem mais do que mil palavras :)

      Um beijinho, Carlos

      Eliminar
  9. Sinti-me junto a ti a ouvir Bach e a sair para a rua comovida e de alma lavada. Essa viagem é um balsamo. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eras tu, então, sentada ao meu lado, de camisola de lã cor de asa de pomba? Confundi-te com uma alemã :)

      Um beijinho, GM

      Eliminar
  10. ~~~
    Uma narrativa muito sentida e emotiva
    - absolutamente deliciosa...

    Em Portugal,
    são raras estas performances musicais
    e acontecem mais no Verão.

    Beijinho de
    gratidão pelos bons momentos de leitura.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço a sua simpática visita, Majo. A música confere-nos sinceridade emocional.

      Um beijinho

      Eliminar
  11. É essa a magia da música, ao alcance dos génios como Bach é.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São os génios que conseguem criar o que desejam. Bach desejava o céu e, por isso, criou o céu.

      Um beijinho, Pedro

      Eliminar
  12. esta manhã, quando regressava a casa, pensava eu 'gostava de fazer o caminho de santiago com a Miss'. nunca o fiz, mas quando conheço alguém que me toca a alma, penso isto.
    e aqui está.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida ana, que belo pensamento logo pela manhã! O Caminho é um projeto muito bonito que nos ensina muitos significados. Dependendo da disponibilidade, podemos fazer o caminho completo ou apenas uma etapa. Para quem vai a pé, tem de percorrer, no mínimo, 100 km para que obtenha a Credencial do Peregrino que serve como prova do caminho percorrido e é aquilo que lhe permitirá dormir nos albergues (mais acessíveis que os hotéis). É importante estar em alguma boa forma física para que possa fazer o percurso com algum conforto. No entanto, pés macerados e com bolhas é um lugar-comum. No fundo, é também uma possibilidade de ouvir o nosso corpo. E quando escutamos, tudo fala, tudo entra numa dinâmica de relação. O Caminho ensina-nos isso. Se precisar de mais informações, contacte-me por email.

      Um beijinho, ana

      Eliminar
    2. Obrigada Miss :)
      beijinho

      Eliminar
  13. É soberbo e avassalador o que a música nos transmite.
    Obrigada pela partilha do momento tão sentido e tão bem descrito.

    Um abraço para si, Miss Smile!
    Bjnhs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acredito que a música nos transforma, ainda que por breves momentos, em pessoas melhores.

      Um abraço, mz, e obrigada

      Eliminar
  14. Querida Miss Smile, atingir essa comunhão com algo, neste caso a música, é para mim como alcançar o paraíso.
    Tenho também com a música de vez em quando esta libertação, por coincidência tive-a com o vídeo que hoje coloquei no meu blogue.Se puder passe lá e dê-me a sua opinião.

    Um beijinho grato

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Fê, a música tem o poder de nos aproximar de nós e dos outros, colocando-nos em sintonia com o mundo. Faz magia!
      Já fui bater à sua porta. Hoje a música estava mais alta do que o habitual:)

      Um beijinho

      Eliminar
  15. Respostas
    1. Sim, é muito belo.

      Um beijinho, Laura :)

      Eliminar
  16. Um privilégio que em Portugal não acedemos com muita facilidade. E que imensa pena tenho. Bjs

    ResponderEliminar