quarta-feira, 30 de março de 2016

O voo das gaivotas



Começam o dia louvando o imperfeito:
o tempo que se inclina para o lado partido
as escassas laranjas que se tornam
amarelas no meio da palha
as talhas sem vinho

Olham por dentro a brancura da manhã
e em tudo quanto auxilia um homem no seu ofício
louvam o vulnerável e o inacabado

Estão sentados à soleira dos espaços
trabalhados devagar pelo silêncio

Quando Deus voltar
Não terá de arrombar todas as portas 


José Tolentino Mendonça/Os justos




Post dedicado à Maresia







6 comentários:

  1. (o tolentino...:))
    'Começam o dia louvando o imperfeito:
    o tempo que se inclina para o lado partido...'

    chegas sempre quando deves chegar. agradeço-te a ti e a ele, que tem tantas formas de entrar, mesmo que as portas pareçam fechadas.

    abraço-te, Miss :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outro abraço apertado, querido pardalinho manso :)

      Eliminar
  2. Olá, Smile.
    Não pude deixar de sorrir: "louvando o imperfeito" - também é preciso.
    Bonito ter tido o carinho de dedicar este à maresia - também sou apaixonada por ela ;)

    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não seremos as únicas apaixonadas pela Maresia.
      Bem-vinda ao clube :)

      Um beijinho, Carmem :)

      Eliminar
  3. Lindo poema:)

    Um beijinho:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os dias, pela manhã, leio um poema. É assim que começo o meu dia. É como se fosse uma espécie de oração. A poesia de Tolentino é uma presença assídua na minha mesa de cabeceira.

      Um beijinho, Isabel

      Eliminar