domingo, 19 de junho de 2016

As mãos contam histórias



Cada mão tem uma cor, uma energia, um aroma. E, se soubermos sentir, uma história.
Já senti muitas mãos nas minhas. E, com elas, toquei o impalpável.
Mãos frescas que me deixaram o aroma verde da erva depois da chuva.
Mãos aconchegantes como mantas cosidas em noites de trovoada.
Mãos que eram como pontes de bons pensamentos.
Mãos complacentes como casca de árvore antiga.
Mãos leves como pétalas. Macias como alperces. Ávidas como bocas.
Mãos tristes como flores chamuscadas.
Mãos cerradas a comprimir raivas nascidas da dor.
Mãos erguidas como muralhas, protegendo os fiapos da nuvem desfeita a que chamavam coração.
Mãos de veias azuis que, como redes içadas, me prenderam a vontade sem que eu desse conta.
Mãos que mal se deram, refugiadas na galáxia recôndita das algibeiras.
Mãos que, como ondas quentes, quase me afogaram.
Mãos afetuosas, relembrando aromas reconfortantes.
Mãos coloridas de ternura, com flores de buganvília carmim nas pontas.
Mãos pequeninas, como pardalinhos contentes, a depositar um mundo de vidro nas minhas.
Mãos irresistíveis como almofadas de seda, bordadas de enlevo.
Mãos que queriam o mundo, mãos que não pediam nada, mãos que me queriam a mim.
Mãos que, como línguas de fogo, me lamberam a pele e me fizeram tremer os joelhos.
Mãos que, como cisnes sedosos, me sulcaram um rio no corpo.
Mãos que, como poços de beleza, me ensinaram a amar a sede.
Mãos que, à beira do fim, me mostraram que há sempre algo que começa.
Mãos que me beberam a tristeza com as duas mãos juntas.
Mãos que foram prados de infância, promessas de esperança, como amendoeiras em flor.

Hoje sei que duas mãos que se tocam formam um delta.
Um delta onde desaguam duas histórias.
Duas histórias que se tatuam mutuamente na pele antes de serem arrastadas para o mar.
Nunca esqueci as mãos das pessoas que amei. Sinto-as ainda como se fossem minhas.
Porque, quando amamos, trocamos também de mãos.






26 comentários:

  1. Parabéns pelo belo texto que muito nos diz sobre o que falam, dizem e sentem as mãos. Muito bem sintonizado com as imagens do vídeo.

    Sabe, Miss Smile? Neste momento, aliás, já desde ontem, que tenho a sensação de ter ficado de mãos vazias. E culpo-me! Por me ter deixado levar pela fúria provocada por uma provocação gratuita. Porque haverá pessoas que sentem prazer em usar as mãos para fazer mal aos outros? Enfim, não devem saber usá-las para acariciar...

    Um beijinho de mão na sua mão, com carinho e gratidão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quem diga que a forma como alguém age só a ele diz respeito, já a forma como eu reajo é um assunto meu. Não vale a pena deixar-se consumir pela culpa, nem chorar sobre o leite derramado. O importante é a consciência, a lição, aquilo que aprendemos para que na próxima vez possamos “errar melhor”. Somos seres inacabados, uma espécie de oleiros da nossa própria vida. E amanhã é um outro dia e, com ele, vem a esperança do recomeço. Enquanto vivermos, estaremos sempre a refazermos.

      Um beijinho e um aperto de mão sentido, querida Janita

      Eliminar
    2. Muito obrigada, pelo bem que as suas palavras me fizeram, querida Miss Smile.

      Um beijinho.

      Eliminar
    3. Na verdade, escrevi-as também para mim. Estamos todos no mesmo barco, Janita :)

      Outro beijinho

      Eliminar
  2. ~~~
    Dizem que as mãos são o primeiro cartão de apresentação das pessoas e há muita verdade neste conceito.
    Esta composição poética dedicada às mãos está admirável,
    pela delicada e amorosa sensibilidade. Muito bela!
    O video também é tocante...
    Fico gratíssima por estes excelentes momentos.
    ~~~ Beijinhos, querida Smile. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As mãos são um limiar do corpo. Podem servir de barreira ou de ponte. Com elas, construímos relações, afetos, alianças ou inimizades, discórdias e obstáculos. As mãos também falam sem que nos apercebamos disso. É o caso do vídeo que reproduz fragmentos dos gestos involuntários das mãos nos filmes de Robert Bresson.

      Um beijinho, querida Majo, e obrigada

      Eliminar
  3. mãos que escrevem como se voassem... as tuas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As minhas não têm asas, como as tuas. Apenas ensaiam uns voos rasteiros antes de irem fazer o jantar ou estender uma máquina de roupa :)

      Um beijinho, Manelito

      Eliminar
  4. Oi Miss, é a Vi, mãos que podem construir ou destruir.
    Com certeza tuas mãos constroem emoções e fazem a gente pensar.
    Perfeito, a troca de mãos com o ser amado.
    Beijos,Vi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão bom vê-la por aqui, Vi!
      Agradeço o seu voto de confiança. Gostaria de pensar que a história das minhas mãos se resume a gestos de boa-vontade, mas receio que não seja verdade. Há tanta coisa que me escapa, mas continuo empenhada em fazer melhor :)

      Beijos, Vi

      Eliminar
  5. E andam a escassear tanto as mãos que se estendem para ajudar. Precisamos de cuidar dessa parte.
    Bom ler-te assim, Miss Smile!
    Beijos e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, mas as mãos nada podem fazer quando os corações ainda não estão prontos.

      Um beijinho, Isabel, e obrigada

      Eliminar
  6. Tão bonito.
    Tal como os olhos, as mãos também falam e não é só nos gestos mas também ao escolherem as teclas onde carregam. Tal como as tuas. Beijinho MS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é tão bonita a imagem que usaste! Gosto de imaginar as mãos como teclas de um piano, que fazem vibrar cordas diferentes. A vida tocada a quatro mãos é sempre mais bonita :)

      Um beijinho, GM, e obrigada

      Eliminar
  7. As mãos falam, é verdade. Podem ser meigas ou agressivas, é verdade. Podem ser tudo o que se descreve mas quando duas mãozinhas nos afagam o rosto ou se erguem num pedido, o mundo para e o nosso coração se derrete. Gostei muito de ler.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu a entendo! Mãozinhas mágicas a despertar o melhor de nós. Tão bom :)

      Um beijinho, Benó, e obrigada

      Eliminar
  8. As mãos, se bem observarmos, podem dizer muito acerca da pessoa.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As mãos podem revelar muito sobre a pessoa, é verdade. Além disso, a linguagem corporal, na qual as mãos desempenham um papel importante, pode complementar, reforçar ou contrariar o que a boca diz.

      Um beijinho, Pedro, e uma boa semana

      Eliminar
  9. De olhos fechados, (re)conhecemo-nos pelo toque das mãos.

    Um texto tocante e belo, como se ofertado, ao vivo, pelas tuas mãos, Miss Smile!

    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É precisamente de olhos fechados que melhor escutamos as mãos.

      Um beijinho, Maria, e obrigada :)

      Eliminar
  10. Nem sei o que te dizer perante este video que aqui nos mostras e também pelo que tão bem escreves sobre as maos, com as tuas próprias mãos Tanto se faz com as mãos, amiga! Nem são necessárias as duas; na maioria das vezes basta uma para ajudar uma pessoa a atravessar a rua, a carregar aquele saquinho para nós tão leve, mas para outros de um peso tremendo; para acariciar aquele rosto
    triste, enrugadinho que há muito só conhece as proprias mãos. Mas há mãos
    que agarram dinheiro com tanto entusiasmo, pegam numa arma como se de um

    bem precioso se tratasse, mãos que roubam mãos que matam, mãos que
    bofeteiam com um prazer incompreensivel. Neste fim de semana tive mãozinhas
    pequeninas, leves, meigas que me acariciaram, se ergueram em forma de oração
    pedindo: " por favor vovó deixa..." e a vovó agradecida pela ternura daquelas
    maozinhas, acariciou e deixou. Mas, como alguém acima disse, não podemos
    culpar as mão, pois elas carregam na tecla permitida pelo coração e esse nem

    sempre sabe escolher a melhor tecla. Mãos, o ser humano tem, mas o coração,
    esse, muitas vezes está longe, em algum lugar tremendamente gelado. Um post, Miss Smile , que me agradou imenso e no qual devemos refletir para que saibamos usar as mãos em sintonia com um coração solidário e caloroso. Obrigada, amiga! Beijinhos
    Emilia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. “Aqui estão as mãos.
      São os mais belos sinais da terra.
      Os anjos nascem aqui:
      frescos, matinais, quase de orvalho,
      de coração alegre e povoado.”
      (..)
      Eugénio de Andrade/Coração habitado

      As mãos são a fronteira entre o dentro e o fora. Tateiam o que o coração pressente. Se estiverem em sintonia com um coração compassivo – a aprendizagem de uma vida -, estaremos em coincidência connosco e com o mundo.

      Um beijinho, amiga Emília

      Eliminar
  11. Que maravilha de texto!! Gostei tanto, tanto! Muito bonito. Muito sentido. Muito bem escrito.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo de mãos vazias, trazemos sempre aconchegados nas palmas, pedaços da nossa biografia.

      Um beijinho, Graça, e obrigada

      Eliminar
  12. Belíssimo texto! As mãos são de facto um condutor de energia, tal como o abraço. Também guardo algumas das que descreve no coração. Obrigada, Miss Smile, pela sua sensibilidade, traduzida em palavras. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dar as mãos pode, de facto, ter o mesmo significado que dar um abraço. Trocam-se energias, estabelecem-se laços, trocam-se linhas de vida.

      Um beijinho, Esmy

      Eliminar