quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A lição



Um dia, esbarrei num muro. Surgira de repente como que vindo do nada. Era muito alto e imponente e estava atravessado no meu caminho. Tentei transpô-lo, saltando, esticando-me. Não consegui. Mais tarde, regressei com cordas e mosquetões e empreendi nova tentativa. Em vão. O muro permanecia intransponível. Esgotada, sentei-me em silêncio olhando a sua parede branca que quase tocava o céu. Nada mudou. Só então é que percebi que não era por ali que tinha de passar.



[Por vezes, o verdadeiro obstáculo somos nós.]


36 comentários:

  1. Muito bonito!
    E tão verdadeiro...
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, CF :)
      Nem todos os muros são periféricos. Por vezes, o que nos faz sofrer, é a nossa resistência em aceitar a realidade...

      Eliminar
  2. Mas que saudades, Miss Smile!!!!!!! :-)

    É verdade, por vezes o obstáculo somos nós. Mas é bom percebermos que nem todos os muros são para nós transpormos.

    (eu quando esbarrei num muro, certa vez, fiquei no chão a ver o meu vestido tingir-se de vermelho, ia partindo o nariz... e também não tentei mais nada, claro) :-)

    Sejas bem regressada, querida Miss Smile.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, querida Susana. Há os muros que nos magoam o corpo e há os que nos amassam a alma. Às vezes, o mundo não se ajusta à nossa liberdade de movimentos... ou aos nossos desejos. Mas o meu muro acabou por se converter numa oportunidade.

      Com a tua calorosa receção, sinto-me muito bem regressada. Obrigada :)

      Um beijinho, Susaninha

      Eliminar
  3. a falta que tu me fazes. tu sabes :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida ana, não estarás a exagerar? :)

      Sabes, estive ausente do blogue, mas nunca deixei de caminhar ao lado das pessoas que gosto de ler. E tu és uma delas, como muito bem sabes :)

      Eliminar
    2. Não se deve contradizer as pessoas de mais idade :)

      Eliminar
  4. Muito lindo e tão verdade isso! bjs, chica

    ResponderEliminar
  5. "Quase tocava o céu". Quase... Mas há sempre uma nesga para nos escaparmos. É só acreditar no voo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Luísa. É importante nunca deixar de acreditar no voo, mas é igualmente importante não esquecer que há voos que se fazem de fora para dentro.

      Eliminar
  6. Estou neste momento diante du muro.

    Quero tanto passar....mas não consigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que está a passar momentos difíceis, querida Virginia. Mesmo sem dizer nada, tenho-a acompanhado sempre.

      A vida, por vezes, é um tropel, um emaranhado de acontecimentos felizes e de momentos de sofrimento desmedido. Nunca estamos verdadeiramente preparados para certas investidas. Mas a vida é também um elo, uma possibilidade de ligação que nos reconcilia com o mundo e com os outros.

      Um abraço apertado

      Eliminar
  7. sem dúvida...
    com asas e persistência.
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por vezes, aceitar as coisas como são, e não como gostaríamos que fossem, é também uma espécie de persistência. Em determinadas situações, deixar-se levar pelo fluir da vida – ao invés de nadar contra a corrente – é, para além de uma questão de bom-senso, um ato de persistência: prosseguir com um caminho tortuoso em direção a outra meta.

      Beijinho, Laura

      Eliminar
  8. Querida Miss Smile.

    Que bom, poder voltar a tê-la aqui e às suas sábias lições de vida. Já sentia tantas saudades!
    Há obstáculos que nos surgem e parecem intransponíveis, porque nós é que os agigantamos no nosso coração e na nossa mente. Ficamos tão confusos, perdidos na vontade de sair dali, que nem nos lembramos de os contornar e procurar outra saída.
    Ou até ponderar a hipótese de ficar...
    Quanta verdade em tudo o que diz.


    Muito Obrigada!

    Um beijinho grande, grande, querida Miss!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Janita. O problema nem sempre reside na situação, mas na ideia que fazemos dela. Muitas vezes, aumentamos os nossos estados de desânimo, prolongamos artificialmente emoções, temperamos cenários com drama. Perdemos o sentido da proporção. É por isso que o silêncio, aquele em que todas as vozes se calam e apenas ouvimos a nossa voz interior, é tão importante. Sem silêncio não há consciência. É nele que encontramos um sentido para as coisas.

      Um beijinho, querida Janita, e muito obrigada pelas suas doces palavras :)

      Eliminar
  9. Às vezes, focamo-nos tanto em ultrapassar um determinado obstáculo, que nos esquecemos da solução mesmo ali ao lado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Estudante. São tantas as vezes que direcionamos o foco para a lado errado! Por outro lado, nem sempre existem soluções, mas apenas compromissos.

      Eliminar
  10. Querida Miss Smile, tenho 59 anos, imagine os muros com que já me deparei.
    O segredo para os ultrapassar está realmente na nossa mente, mas também há muros intransponíveis e para esses só nos resta, desistir ou voar.
    Que saudades eu tinha da sua companhia.

    Um beijinho grato

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O segredo ou o mistério está realmente na nossa mente. Muitos dos muros em que embatemos existem apenas na nossa cabeça. Foram arduamente erguidos por nós. Esses, embora não sejam feitos de betão, são os mais difíceis de derrubar.

      E eu já tinha saudades das suas visitas :)

      Um beijinho, querida Fê

      Eliminar
  11. Minha querida Amiga, deixo-te um abraço silencioso. Tenho sentido muito a tua falta... Espero não estar a ser egoista com o meu desabafo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os melhores abraços não precisam de legendas, porque o silêncio é o lugar mais perto do coração. Também tenho sentido a tua falta, querida Amiga. Há afetos que relativizam o tempo e a distância. Podemos estar juntas, mesmo estando separadas por quilómetros ou afastadas por semanas e meses. Podemos estar juntas, mesmo sem trocar uma única palavra. Quando estimamos alguém, é como se estivéssemos todo o tempo ao seu lado. Pelo menos, é assim que sinto, contigo e com outras pessoas desta nossa “aldeia” virtual.

      Um abraço apertado, querida Sandra

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Demasiadas vezes, atrevo-me a reforçar. Viver não é mais do que uma preparação para a vida...

      Eliminar
  13. Agora já dá para comentar.
    E para dizer que, sempre que aparecem muros nas nossas vidas, e vão aparecer muitos, há que contorná-los.
    Porque aquele não era definitivamente o caminho.
    Beijinhos, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podemos contornar o obstáculo ou dar a volta ao nosso ponto de vista, que é apenas um matiz entre muitos.

      Pedro, a caixa de comentários só será aberta ocasionalmente. Peço desculpa se estiver a ser indelicada, mas, acredite, deve-se mesmo a uma enorme falta de tempo. Por muito que gostasse, não tenho, de momento, disponibilidade para responder a todos os comentários da forma que merecem. Tal como a vida, também a blogosfera é feita de compromissos :)

      Um beijinho e um bom fim de semana

      Eliminar
  14. Querida Miss Smile

    Peço-lhe desculpa, mas não resisti ao ímpeto de vir aqui dizer-lhe, relativamente ao belo texto escrito acima, o quanto considero essa fase de enamoramento, de paixão que tira o sono e o apetite, o oxigénio que faz respirar e viver sem se precisar de mais (quase) nenhum alimento. Quem pensa na sobrevivência física quando se alimenta de sonhos, de ilusão e de paixão?
    Ah, como eu gostaria de voltar a essa dieta…:))

    Um beijinho. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sai mais uma garrafa de soro para a mesa da Janita! Brindemos,então, à paixão. Tchim, tchim :))

      Um beijinho e um bom fim de semana :)

      Eliminar
  15. Querida Miss Smile,
    Eu também não acredito em tudo que escrevo :)
    Mas acredito nas sensações que tão bem descreveu em cima.
    Podem ser curtas mas preenchem a vida toda.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Fê, vejo que percebe do assunto :)
      Puxe de uma cadeira e acomode-se aqui entre mim e a Janita. Tenho a certeza de que muitas mais se juntarão a esta interessantíssima tertúlia. Hoje, aqui no Salão, só será servido soro em bules de porcelana. Temos a tarde por nossa conta :)

      Um beijinho e um bom fim de semana :)

      Eliminar
  16. Que bom reler de novo os seus textos!

    Um beijo, Miss Smile

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que honra, Alteza, ouvir as suas palavras!

      um beijinho, Princesa :)

      Eliminar
  17. estou à espera do workshop "como transpor obstáculos atravessados e aparentemente intransponíveis" :) acho que criei um demasiado extenso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manel, quando souber de um, avise-me :))

      Eliminar