terça-feira, 4 de outubro de 2016

Estatísticas



Depois de retirar os óculos e de os colocar cuidadosamente sobre a secretária, o médico olha-a diretamente nos olhos. Num tom sério, compassivo, informa-a que o que lhe levou o pai foi fruto de uma situação rara, de um infeliz somatório de circunstâncias adversas com padecimentos crónicos - um desfecho que representa apenas 7% de todos os casos idênticos. Faz uma pausa, aclara a garganta e repete o número, enfatizando pesarosamente o advérbio apenas. Ela lê-lhe os lábios, confusa. De que lhe servem os 7% de causalidade contingente se o pai era 100% dela?