domingo, 18 de dezembro de 2016

Miss Smile procura casa



Num dia da semana passada, dei um pulo da cama quando o despertador tocou às seis da manhã. Tinha uma reunião em Lisboa e queria sair cedo de casa, pois a A5 fica, a partir de uma certa hora, intransitável. Tomei um duche e realizei todas as deambulações necessárias pela casa. Escolhi um vestido de que gosto muito, e que acho que me assenta bem, e planeei calçar uns sapatos de salto, disposta a aparentar um ar mais sofisticado do que o habitual. Vi-me ao espelho e gostei do resultado, apenas achei que o meu rosto, macilento, cor de pão mal cozido, precisava de cuidados redobrados. Passei o lápis pelos olhos, coloquei rímel e espalhei um pouco de rouge nas maçãs do rosto. Olhei-me novamente ao espelho e achei o resultado razoável e comedido, no bom sentido da palavra. No entanto, ocorreu-me que faltava ainda um pormenor: espalhar um pouco de corretor para disfarçar as olheiras e conferir uma maior frescura ao olhar. Não costumo usar, mas, naquele dia, achei que precisava desesperadamente daquele efeito pictórico. Olhei de relance para o relógio e constatei que se estava a fazer tarde. Vesti rapidamente o casaco, calcei os sapatos e, toda embonecada, fechei rapidamente a porta de casa, quase amputando a cauda do gato. Quando o elevador parou no meu piso, já lá trazia o vizinho de cima, um velhote muito apresentável e sempre bronzeado que, mal me viu, arregalou os olhos e gaguejou algo semelhante a uns bons-dias, como se tivesse uma barata dentro na boca. Em todas as reuniões de condomínio a que fui, não me lembro de ter visto o senhor a olhar para mim tão insistentemente. Cumprimentei-o cordialmente e entrei. Durante toda a descida até à garagem, o velho jarreta tostado de UV não tirou os olhos de mim, fazendo-me sentir uma espécie de campo magnético. Sem saber bem o que fazer, assumi um olhar vítreo e entreguei-me à contemplação da porta do elevador. Esmerara-me, é certo, mas não me imaginava assim tão deslumbrante. Com um movimento fluido e gracioso de pernas, saí do elevador e entrei no carro. Antes de ligar a ignição e fazer-me à estrada, não resisti a apreciar, no retrovisor, o meu aspeto supostamente tão fulgurante. Minhas amigas, podemos acalentar todas as ilusões e quimeras, que a vida, sempre impiedosa, não perde tempo em desenganar-nos. Ainda o sol não tinha nascido naquele dia e já eu estava a ser desmascarada. As mulheres bonitas parecem-se todas, mas as maquilhadas são-no cada uma à sua maneira (Tolstói que me desculpe, mas no estado em que me encontro, vale tudo). O confronto com a verdade é sempre um momento solitário e a imagem que o espelho me devolveu envergonhou-me até à medula mais íntima. À volta dos olhos, viam-se pontinhos brancos e espessos do corretor de olheiras que eu, com a pressa, me esquecera de espalhar. Na verdade, parecia-me pronta a iniciar o primeiro ato de uma qualquer dança tribal.
As placas geológicas do planeta movem-se lentamente, a Terra precisa de quase 24 horas para girar em torno de seu próprio eixo, uma andorinha leva cerca de seis semanas a chegar de África ao continente europeu, mas basta um único segundo no dia de uma pessoa para que toda uma vida respeitável perca a sua dignidade. Quando regressei, a meio da tarde, entrei furtivamente em casa. Felizmente, não encontrei vivalma. Aconteça o que acontecer, não estou para ninguém, não sei de nada, não respondo. E pondero seriamente mudar de casa.


26 comentários:

  1. Miss Smile,


    Se precisar de ajuda, conte comigo e pode sempre refugiar-se no meu palácio. Temos quartos de sobra. :)

    Um beijo e um abraço solidários.

    ResponderEliminar
  2. Alteza, desde que trate este assunto como um segredo de Estado e não comprometa o pouco que resta da minha parca respeitabilidade, divulgando o lamentável sucedido na sua corte, aceito, de bom agrado, a sua nobre oferta.

    Um beijo e um abraço agradecidos
    (hoje, não faço vénia, pois, no estado em que me encontro, receio que não me volte a levantar)

    ResponderEliminar
  3. Oh, querida Miss Smile, pode sempre vir para Pirata. Qualquer risco a contornar os olhos está bem.
    (Felizmente, os outros raramente são tão cruéis como nós, quando tratamos de nos autoavaliar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Cuca, parafraseando Seneca, célebre orador romano e meu primo em 8.970 grau pelo lado materno, maquilhar-se é correr riscos e não há nenhum tapa-olhos que nos valha. Por isso, vou mandar fazer uns dentes de ouro, tatuar uma caveira e tornar-me pirata. Mas virtual. Dizem que é mais seguro navegar nas águas da Internet :)
      Obrigada pelas suas palavras de consolo. Mas o mundo é cruel. Perdoa tudo, menos uma mulher que não se sabe maquilhar)

      Eliminar
  4. se preferir cabana na serra, faça as malas e esteja atenta aos sinais de fumo!

    minha querida companheira de armas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim que acabar de colocar as últimas penas no cocar, pôr-me-ei a caminho da serra, como qualquer Sioux, destemido e invencível, que se preze. Quanto aos sinais de fumo, fiz esta manhã um curso rápido na Internet, espero que chegue. Vou armada, levo um martelinho e dois garfinhos de marisco. Ainda não decidi se levo os sapatos de salto de agulha (podem servir de arma poderosa; a serra é abundante em animais perigosos) ou os ortopédicos do Doctor Karl (para correr melhor).

      Até já, pode colocar já a chaleira ao lume :)

      Eliminar
  5. Oh Miss Smile venha comigo para Inglaterra. Eu ofereço-lhe a minha casa. E assim à noite poderia aconchegar o meu coração com as suas bonitas histórias. Sim? Sou uma interesseira, bem sei. :)

    Com pontinhos brancos ou não, a Miss Smile, é uma das mulheres mais bonitas. Não tenho dúvida alguma. Conheço a sua pele nas palavras que escreve. :)

    Deixo-lhe um beijo no coração. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alaska, estarei aí pontualmente para o chá das cinco :)
      Conte comigo que não sou de me fazer rogada perante um convite tão tentador. Eu levo os scones.

      Um beijinho e até já :)

      Eliminar
  6. Comecei bem o dia no meu PC...
    Com muitos sorrisos...
    Penso que já aconteceu a todas... Toda a maquilhagem feita durante o dia deve ser verificada à luz natural... Por mais atrasada que se possa estar...
    Penso que toda a mulher deve ter direito aos seis momentos de 'glamour'...
    Diverti-me muito.
    Beijinhos, querida amiga.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aqui está um conselho inteligente de uma mulher sábia! Nunca sair de casa sem percorrer religiosamente cada um dos pontos do checklist:

      - Corretor de olheiras espalhado?
      - Sapatos calçados? (mais do que uma vez, já saí de pantufas de casa)
      - Alface ou batom nos dentes?
      - Saia não está metida dentro dos collants?

      É preciso um cuidado extremo antes de sair de casa! Em nome do "glamour", o mundo que espere...

      Um beijinho, querida Majo, e um domingo feliz :)

      Eliminar
  7. perdi-me um pouco com a nomenclatura cosmética, mas a minha tenda tem espaço de sobra :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma tenda Tipi a sério, Manel? Com fogueira ao centro e garagem para arrumar a canoa?
      É p´ra já! :)

      Eliminar
  8. acordar às seis da matina...à pressa..esses pontinhos brancos seriam pouca coisa!! Se fosse no meu caso, a essa hora, certamente, levaria as botas trocadas...com sono não funciono!!!

    Bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso, sou madrugadora e gosto de acordar cedo. O problema foi a pressa combinada com a aplicação do corretor, que não faz parte do meu ritual matinal. Não deu bom resultado :)

      Uma boa semana, Monnchild!

      Eliminar
  9. Miss Smile, Que historia tão divertida!
    Não mude de casa estou certa que todos deverão estar ansiosos por encontrá-la no elevador, com ou sem pontinhos podem todos rir e animar as manhãs.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a notícia já se espalhou, estarão todos desejosos de me ver no elevador, de preferência, com um picotado branco à volta dos olhos :)

      Um beijinho, Papoila

      Eliminar
  10. Mais corajosa que eu, às vezes tenho vontade, mas nem me aproximo da maquilhagem, temendo o desastre, sempre que me atrevo a pintar-me sinto-me mascarada ou parecida com um travesti. E às vezes até gostava mas não aprendi. No tempo da adolescência que é aquele em que se aprendem essas coisas, andava de tranças, saias indianas e botas da madeira.
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez-me rir com o seu comentário :)
      Lá está, as mulheres maquilhadas são-no cada uma à sua maneira :)
      Eu não recorro muito à maquilhagem. No entanto, há ocasiões em que gosto de dar uma pequena ajuda à natureza, mas mantendo sempre um aspeto natural.

      Um abraço, CC

      Eliminar
  11. Deve ser o medo terrível de ficar a parecer alguém, que não eu - dada a minha total imperícia na arte de maquilhagem - que me levou sempre a abdicar de a usar. Nos dias especiais, não vou além do uso de rímel e, naqueles muito especiais, a aplicação de eyeliner e um leve roçar de batom nos lábios, de preferência de longa duração. :)
    Olheiras, não tenho, mas precisava de um produto eficaz para disfarçar os inestéticos 'papos'. A Miss Smile, que me parece entendida no assunto, sabe de algum cosmético bom, mesmo bom, para esse efeito?
    Quanto ao constrangimento, ora, o percurso foi tão curto e, além do vizinho, mais ninguém viu, para quê a trabalheira de mudar de casa?... Isso cheira-me a frescura (como dizem os nossos irmãos do outro lado do oceano), querida Miss Smile...

    Um beijinho solidário, misturado com boa disposição. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Janita, gostaria muito de ajudar, mas sou completamente leiga nesta matéria. Quando me maquilho, uso apenas o básico.
      Quanto à frescura, não passo sem ela. Ora não é isso que reforça o nosso charme feminino?

      Um beijinho :)

      Eliminar
  12. Nada a temer, eram pontos de luz, estrelas cintilantes provenientes de bonitos olhos. Em todo o caso, há por aqui um quartinho a mais se a Província lhe aprouver. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se estivesse no antigo infantário dos meus filhos, seria certamente isso que todos veriam - pontos de luz e estrelas cintilantes - uma pintura adequada à presente quadra natalícia. Não sendo esse o contexto, não vale a pena acalentar ilusões. Mas obrigada pelas palavras de consolo e pelo quartinho. Se for calmo e sossegado, aceito. Estou a precisar de fugir do bulício da cidade :)

      Um beijinho, GM

      Eliminar
  13. Se quiser uma vista mar, pequena... uma nesga apenas, lá ao fundo, a meia dúzia de quilómetros de distância, é rumar ao Algarve. :)
    Muito divertido este post. Adorei lê-la, Miss Smile (como sempre).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sua oferta é irrecusável, Luisa - campo com mar ao fundo. É o local ideal para descansar de todas as atribulações. Leva-me depois consigo nos passeios de domingo?

      Obrigada e uma boa semana :)

      Eliminar
  14. Muito para lá de todos os azuis

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou dos tons escuros que eu, na altura, vi tudo negro :)

      Um beijinho, Mar Arável

      Eliminar