sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Scanner



À minha frente, na fila do supermercado, está uma mulher bem vestida e elegante. Usa uma gabardina cintada por cima de umas calças de cor escura. Empinada nuns saltos altos como buris, retira, com desenvoltura, as compras do cesto. Depois, olha ostensivamente para o relógio, suspira e tamborila com os dedos cheios de anéis na superfície do tapete. Toda ela faísca de impaciência. Quando chega à sua vez, a funcionária da caixa pergunta-lhe se tem o cartão de descontos e ela, com uma voz cáustica como ácido a espalhar-se, diz que está com pressa e que só quer é que ela se despache. A funcionária não diz nada, baixando os braços pesados pelo cansaço. Deve estar a pensar que o dia já vai longo e que, por ali, já passaram demasiados clientes daquela espécie. Provavelmente, aprendeu a ler rostos, como o clarão vermelho que lê os códigos de barras dos artigos que ela faz deslizar. Não sei qual é sua leitura, mas eu gostaria de acreditar que existe uma boa razão para se responder assim. Talvez a mulher tenha discutido com uma amiga, talvez o filho adolescente ande cada vez mais estranho e esporádico, crescendo de uma forma que ela não consegue mais compreender. Ou talvez pense no marido que, nos últimos tempos, se mostra indiferente e que, naquele momento, quem sabe, procura consolo noutro corpo. Não consigo ver o fundo da sua vida, não leio os pensamentos que lhe corroem a mente, mas por baixo das camadas de base, da espessa mancha de rouge e da fuzilante armadura de arrogância, creio vislumbrar as contusões do amor.


18 comentários:

  1. ou as confusões do corpo :)
    beijinho, Miss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos sintonizadas!
      Enquanto eu deixava um comentário no teu blogue, estavas tu aqui a escrever na caixa de comentários! Que pena termo-nos desencontrado! Ter-te-ia oferecido um chá quentinho para a constipação :)

      Pois é, as confusões do corpo, está bem visto. Se calhar, era a D. Fernanda, a tua vizinha :)

      Um beijinho e as tuas melhoras

      Eliminar
    2. A dona fernanda não poe tintas na cara...:)
      Obrigada:)

      Eliminar
  2. Um coração ferido pode trazer muita amargura.

    Beijos, querida Miss Smile :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez todos os supermercados devessem ter caixas prioritárias para corações feridos :)

      Um beijinho, querida Maria :)

      Eliminar
  3. Seja qual for o motivo do fel, normalmente ele vem por falta de mel. É sempre o desamor que põe as pessoas ácidas.

    Bom dia, Miss Smile :)
    Um beijinho muito grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, querida Blue. O amor/desamor converte-nos em sabores para os outros e a arte está no equilíbrio dos temperos.

      Um grande beijinho e um dia feliz :)

      Eliminar
  4. Saiu e deixou o coração em casa, protegendo-o do frio.

    Saudades suas, Miss Smile. Não imagina o quanto as suas palavras me fazem falta. :)

    Deixo-lhe um beijo no coração. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ter sido isso! Com a pressa, esqueceu-se do coração em casa. Se tivesse sido o telemóvel, talvez tivesse voltado para trás para o ir buscar :)

      Obrigada, querida Alaska, pelas suas doces palavras. Espero que esteja a desfrutar em pleno da sua estadia em Portugal :)

      Um beijinho

      Eliminar
  5. Gostei deste texto e mostra como à pessoas que estão ressabiadas com a vida e passam para os outros esse mal estar.
    Um abraço e bom fim-de-semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quem é que não se zangou já com a vida? Eu já me zanguei várias vazes, confesso. Mas, como ela ganha sempre, não me tem restado outra coisa senão fazer as pazes com ela :)

      Um abraço, Francisco, e um bom fim de semana

      Eliminar
  6. Sempre indulgente; sempre adoçando as causas dos desabridos.

    Feliz por vê-la por cá, querida Miss Smile.

    Um beijinho e o meu carinho. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se é adoçar, se é tentar perceber o que leva alguém a tratar outra pessoa assim, sem motivo aparente e sem que esta lhe tenha feito algum mal.
      Fico também feliz por vê-la por aqui :)


      Um beijinho, querida Janita

      Eliminar
  7. quanto mais ácido se usa, maior é o buraco que se escava...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E um dia, é-se engolido pelo buraco que se escavou...

      Eliminar
  8. Nem só o amor ou a falta dele corroe por dentro, hoje em dia é tão fácil ver-se destilar fel por dá cá aquela palha e em todo o lado. As pessoas andam com esse mau gosto na boca...
    Beijinho MS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, GM, há muitos amargos de boca por aí. Haverá tantos motivos como pessoas, mas eu acredito que a principal causa é a falta de amor, e não me refiro ao amor romântico, mas ao amor que flui naturalmente.

      Beijinhos

      Eliminar