quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Público versus Privado





No banco de um jardim público, um casal de namorados devora-se num impudor de juventude. Sozinho que está no mundo, procura-se por toda a parte, numa união de mãos e braços, numa febre de beijos e gemidos. Mesmo ali, diante de mim, bebe-se numa sede de deserto, revelando-me o seu desejo sem disfarce. Eu sei que eu é que estou ali a mais. Por isso, levanto-me e procuro outro banco, longe do campo de visão daquela entidade tão incrivelmente privada.


29 comentários:

  1. nessas alturas, o mundo é uma entidade abstrata. há vida lá fora, mas não se sente..
    bom dia, Miss Smile.
    Um beijinho,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar da minha respeitável idade, ainda não me esqueci dessa abstração :)

      Um beijinho, Mia, e um dia feliz

      Eliminar
  2. é o tempo das urgências :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, parecia uma cena de primeiros-socorros :)

      Eliminar
  3. Para mim, é puro exibicionismo. Ponto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade, para além de mim, não havia mais ninguém por perto. Creio que se julgavam sozinhos. :)

      Eliminar
  4. Estamos no mês do amor... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, talvez seja melhor deixar de frequentar jardins durante este mês… :)

      Eliminar
  5. é o fervor da Primavera que ainda não se vê, mas já se adivinha :)

    ResponderEliminar
  6. ...isso é sede insaciável de amor; é pão que não mata a fome, querida Miss Smile. :) É o sangue a ferver nas veias da juventude que sente próxima a renovação da Natureza, antecipando-a.
    São outros tempos: o privado já é do domínio público...:)

    Conheceu aquela canção que dizia: "Quantos mais beijos te dou, mais beijos te quero dar'?

    Um abraço enorme, querida Miss. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, então, uma parceria público-privada? :)

      Outro abraço, querida Janita

      Eliminar
  7. Primorosamente descrito e escrito...
    Beijinhos, querida amiga.
    ~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, querida Majo, e eu apenas fiz um resumo. Poupei-vos a muitos detalhes :)

      Um beijinho

      Eliminar
  8. Respostas
    1. E tenho a certeza de que foi :)

      Um beijinho

      Eliminar
  9. eheheh... E isto ainda pouco passou do começo, Miss Smile ! :)
    Pergunto-me, o que veremos (veríamos) nós daqui a uns 20/30 anos ?...
    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui, não sei se tenho imaginação suficiente para visionar esse filme de ficção científica :)

      Eliminar
  10. O meu reino por um pouco dessa avidez...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Capitã, ainda hoje, enfrentarei afoitamente os perigos do tal jardim para lhe trazer um bocadinho dessa avidez. Tenho a certeza de que alguma terá ficado esquecida no banco do jardim, mas, como sabe, tudo tem um preço. Não lhe peço o reino que, para desgoverno, já me basta aqui o meu Salão de Chá, mas apenas que devolva a Miluzinha à Flor…

      Eliminar
  11. Querida amiga, apesar de nos termos despedidos, não deixei de vir aqui e fiz muito bem. Parecia-me que não teria coragem de sumir!!!?? Qunanto ao caso que conta, é muito frequente e muitas vezes os vejos, pararem no meio da calçada e ali ficarem a beijarem-se fazendo com que as pessoas tenham de desviar-se. Sabe, quando os meus filhos eram adolescentes e eu via caos desses, chegava a casa e contava-lhes, pois algumas vezes eram conhecidos deles. Perguntava-lhes : acham que há necessidade risso? Não podem escolher um lugar mais recatado?
    Felizmente nunca passei na rua ou nas praças vendo-os numa cena dessas. Se calhar foi sorte!!! Obrigada por ter voltado querida amiga. Um beijinho
    Emilia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, querida Emília, a coragem de vivermos com as nossas próprias de decisões :)
      Quanto ao tema propriamente dito, um casal é realmente uma identidade absolutamente privada.

      Um beijinho e obrigada por ter voltado :)

      Eliminar
  12. Corrigindo.. termos despedido..casos..necessidade disso
    Bjo
    Emilia

    ResponderEliminar
  13. Querida Miss Smile,
    venho o mais silenciosa possível, em bicos de pés para a não incomodar, mas não poderia deixar de me infiltrar por esta porta, das traseiras, só para dizer-lhe o quanto adorei o seu Sol Invisível, que achei tão deslumbrantemente visível...
    Quem me dera houvesse - no tempo em que eu fiz parte do coro infantil da pré-JOC e no grupo de teatro amador - música nos ofícios religiosos.
    Era tudo tão enfadonho e moralista...

    Um beijinho e as minhas desculpas.

    PS- achar que não deve, não publique este meu desabafo. Ficará só entre nós. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, querida Janita. Fico muito feliz por ter gostado.

      Um beijinho e um bom domingo

      Eliminar
  14. já fui tão estupidamente feliz em bancos de jardim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que sim :)

      Um domingo feliz, Manel

      Eliminar
  15. Nesses momentos o mundo apaga-se, eclipsa-se. Eles esquecem-se :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há bancos de jardim que fazem desaparecer o mundo :)

      Eliminar