20/03/2018

Reflexo


Vem ter comigo à mesa do café, o cabelo escorrido, polido, bonito. Traz um sorriso aberto e unhas pintadas de vermelho. E os lábios também. Está corada, mais nova. Beija-me com fervor e eu inspiro-lhe o perfume. Cheira a uma primavera irresistível. Não precisa de me dizer nada. Sinto-o no olhar que, nalguns momentos, parece nem me ver, brilhante como uma libélula ao meio-dia. Ri-se por tudo e por nada, enquanto me vai contando o primeiro fim de semana que passaram juntos. Oceanos de mel, castelos resplandecentes de açúcar, pétalas de rosa, véus de diamantes. Ah, o amor! Depois, mostra-me uma foto, ela, de calças de ganga, junto ao mar, cabelos ao vento, sorridente, renascida, especial. Estava tão feliz. Sim, respondo-lhe eu, mas pelo teu sorriso, consigo ver que o fotógrafo estava também muito feliz.