04/04/2018

Completar o mundo

Da janela do carro em movimento, vejo o mundo em perpétuo desaparecimento. Um traçado contínuo de árvores e cercas, um amontoado de cores, contornos a ondular no ar, paisagens rasgadas pela velocidade. O que vejo é mais do que consigo compreender e dou por mim a perguntar - quem viverá naquela casinha de pedra encostada à orla do bosque, sem acesso visível? A quem pertencerá o carro amarelo estacionado no meio do nada? Onde ficará o ninho da cegonha branca que vejo riscar o céu? Os meus pensamentos estabelecem ligações, completam o que os meus olhos creem ausente. E esta é também uma parte bonita da viagem, quando ponho o mundo a viajar dentro de mim.