03/04/2018

Ovelha tresmalhada

O vento empurra as nuvens, fazendo-as deslizar pelo céu encerado. Percorro as ruas estreitas e antigas, parando de vez em quando, deixando-me ficar para trás para contemplar uma fachada, investigar um ruído fugidio ou espreitar para dentro de uma janela ou uma porta. Para descobrir beleza é preciso caminhar lentamente, ainda que para tal, tenha de pôr à prova a paciência de quem viaja comigo.